Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Sala de Não Estar

um blog por Afonso Castro

A Sala de Não Estar

um blog por Afonso Castro

21/10/18

Arraçado de Bartleby

Se eu fosse demasiado limpo
para ter horas,
não escrevia.
E antes de deixar de escrever,
já muita coisa deixava de ter interesse.
Porque eu não ia
para zonas antigas, suburbanas,
afiadas e fossilizadas de aborrecimento
a puxar olhares desconfiados
por eu, desde logo, estar a olhar demais,
eu a olhar e o olhar a transbordar nos outros.
É o que vos digo, se eu fosse demasiado
limpo para ter horas,
nem sequer era e, mesmo que fosse,
não me interessaria ser.

Se eu fosse demasiado - tudo:
limpo, absorto, conformado,
anulação, parado (não num bom sentido),
cinzento-vomitado, boca seca,
pequenamente morto
como depois das explosões,
desentendido... então, e agora?,
se eu fosse tudo isso, 
ou seja, se os problemas fossem magros
e raros, muito distantes,
e eu tivesse todo o tempo 
dentro de uma hora contínua,
eu não escrevia, isso garanto-vos.
Nem ia jantar fora, nem pensava 
nas viagens a fazer, nem me arrancavam
risos e palhaçadas, os livros e filmes
haveriam de saber todos ao mesmo,
as cores iam ser chatas 
e as pessoas iguais, tudo num fio da navalha
do civismo e do bom senso.

Entendes?

Agora, se me perguntares
se eu queria ser demasiado limpo
para ter horas...?
Claro.

Afonso Castro

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Outros Textos